Agência Espacial Europeia será retomado após Galileo investimento milhões

Agência Espacial Europeia (ESA) vai tentar colocar em órbita dois satélites de navegação na sexta-feira com um mísseis russos, marcando a retomada do Galileo após o lançamento quase perdeu em agosto de 2014, o que exigiu vários milhões de euros ser remediado.

Galileo foi concebido pela UE como uma alternativa ao GPS (Global Positioning System) americano. A UE é obrigado a usar um sistema de lançamento russa até a empresa completa Arianespace Ariane 5 foguete - ainda este ano - apesar de relações tensas com Moscou por causa do conflito armado na Ucrânia, informa Reuters.

O erro com as mais recentes dois satélites de Galileu, que foram colocados em órbita errada desde que foram lançados a partir do porto espacial europeu na Guiana Francesa, foi atribuído a uma falha que ocorreu em um dos andares lançador russo.

Um funcionário da Comissão Europeia, o órgão que supervisiona o programa, diz que os líderes da UE irá emitir apólices de seguro para o futuro satélite europeu e até compôs um projeto futuro lança regimes de seguro.

Até agora, os satélites e lançamentos foram fornecidos para reduzir os custos deste projeto espacialmente severamente afectados por atrasos, problemas financeiros e perguntas necessidade destinadas para a Europa para ter a sua própria alternativa para os EUA GPS.

China e Rússia já estão trabalhando em seus próprios sistemas de posicionamento por satélite.

O lançamento terá lugar na sexta-feira à noite no Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa. Se for bem sucedido, o lançamento sexta-feira vai subir para número oito Galileo satélites em órbita, um futuro constelação será 30. Os dois satélites foram lançados em agosto 2014, eventualmente, mudar órbitas viável e pode ser usado agora, disse um porta-voz da Agência Espacial Europeia (ESA).

Esse reposicionamento custar vários milhões de euros e a Comissão Europeia decidirá em abril se realmente usar dois satélites - uma decisão que vai exigir custos adicionais para adaptar os equipamentos para o chão com novas órbitas dos satélites.

Dois lançamentos de satélites estão previstas para este ano, após o qual Galileo vai entrar numa fase de "operação parcial" em 2016. O sistema Galileo deverá estar plenamente operacional em 2020.

Fonte: Mediafax

0

Comentários - 0

Sem comentários

Adicionar um comentário

smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile
Caracteres restantes: 3000
captcha